Hiperidrose e Bromidrose:  excesso de suor e “cecê”

A hiperhidrose é a produção excessiva de suor e costuma acometer axilas, palma das mãos, plantas dos pés, couro cabeludo ou generalizada.

 

A quantidade de suor é variável segundo a sexo, idade, raça, temperatura. 

A glândula é estimulada por calor, exercícios, quadros emocionais, ansiedade, e outras doenças. 

 

O excesso de suor pode afetar em muito a qualidade de vida e o estado psicológico da pessoa. Impede de escrever em papel ou cumprimentar as mãos de outras pessoas ou até mesmo sair com uma camiseta clara com o medo de formar aquela “pizza” na axila. 

 

Como tratar:

-Tópico: em casos leves e moderados, pode ser prescrito desodorantes e antiperspirantes com triclosan, sais de zinco, cloreto de alumínio a 20% que deve ser usado a noite. 

-Sistêmico: em casos graves, pode ser necessário uso de medicações associadas ao tratamento tópico como drogas anticolinérgicas (oxibutinina 2,5mg a noite na primeira semana e posterior 2x/dia, podendo atingir dose de até 5mg 2x/dia) ou clonidina (0,1 a 0,2mg dia inicialmente e dose aumentada após 4 semanas graduativamente)

Essas medicações devem ser prescrita por médicos e acompanhada devido a efeitos colaterais e contra indicações específicas.

-Toxina: aplicada apenas no local desejado, bloqueia a acetilcolina e suprime a sudorese sem efeitos colaterais sistêmicos. Tem duração média de 8 meses para a sudorse excessiva e é uma ótima opção para evitar uso de medicações sistêmicas.  

 

Bromidrose: “Cecê"

O suor é inodoro, ou seja, sem cheiro. O cheiro ruim do suor é causado por colonização de bactérias que causam a bromidrose (suor com cheiro ruim) e quanto mais suor, mais elas tendem a se proliferar.

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

Clínica Desireé Lee. Dermatologia 2018. Todos os diretos reservados.

Telefone: (11) 3251-1800 | Celular: (11) 96905-1800